GEZE Insights

A GEZE interliga a todos os níveis

Gerald Haas é Diretor Geral da Investigação e do Desenvolvimento na GEZE desde 2017. Numa entrevista, ele fala sobre o que faz um produto GEZE, qual é a sua perceção de interligação, e como a empresa promove a sua estratégia de digitalização e o desenvolvimento contínuo do Cockpit GEZE.

Gerald Haas

Gerald Haas © GEZE GmbH

Senhor Haas, há quase três anos que é responsável pelo departamento de desenvolvimento da GEZE. Como se desenvolveu o mercado durante este período?

De um modo geral: as portas, janelas e edifícios estão a tornar-se cada vez mais complexos. E as exigências relativas às portas e janelas sofreram um aumento significativo. Hoje em dia, as portas e janelas têm de ser planeadas e construídas de forma multifuncional: acessibilidade, proteção contra incêndios, saída de emergência, extração de fumaça ou mesmo ventilação natural são apenas algumas das palavras-chave que servem para ilustrar esta complexidade. E além das exigências de construção, há também exigências dos clientes em termos de proteção, conveniência e design. No entanto, é evidente que o aspeto da segurança de edifícios deve ter sempre a máxima prioridade. A nossa tarefa é garantir essa segurança, tendo simultaneamente em conta certas exigências em todas as preocupações e configurações, que muitas vezes se podem contradizer.

E como fazer isso?

O nosso método consiste em reunir os sistemas. Para nós, trata-se de transformar os edifícios em verdadeiros "edifícios inteligentes", especialmente os grandes edifícios, porque a conetividade complexa das diferentes instalações requer uma gestão inteligente. Trata-se, portanto, de integrar soluções flexíveis, eficientes, fáceis de operar e adaptadas individualmente num sistema de automatização de edifíciosde nível superior. Neste caso, a capacidade de adaptação das soluções é também muito importante, uma vez que nem todos os edifícios de construção recente. Por exemplo, temos de reunir num único sistema os sistemas de deteção de incêndio, os sistemas de deteção de intrusão, os sistemas de controlo de acesso e as centrais de portas – o que significa uma interligação inteligente. Em contrapartida, isto significa que os sistemas proprietários estão de saída. Por conseguinte, a GEZE coloca a ênfase em normas abertas, como a KNX ou a BACnet. Acreditamos que, atualmente, apenas um edifício completamente ligado em rede satisfaz todas as exigências da entidade exploradora e do utilizador.

O que significa isto para si enquanto chefe de desenvolvimento?

Já não basta fabricar o ú n i c o produto fantástico que satisfaça a 100 % uma procura específica Não, temos de pensar desde já na forma como as pessoas utilizam as portas e janelas em todo o edifício. Porque estamos a desenvolver-nos do ponto de vista do utilizador. Isto significa: empatia técnica e orientação digital voltadas para o futuro.

Tudo isto com o objetivo de tornar os nossos produtos originais mais fáceis de experienciar e utilizar, com a ajuda de produtos e serviços digitais. Para uma maior segurança, eficácia e comodidade.

Gerald Haas, Diretor Geral da Investigação e do Desenvolvimento da GEZE
GFE, pressebild

Como é que se podem pôr em prática estes tipos de interligação?

Os nossos motores de portas automáticase janelas, e os terminais de caminho de saída de emergência possuem interfaces bus e fornecem uma grande quantidade de dados. Para outros produtos, oferecemos módulos de interface universal. O GEZE Cockpit constitui o centro das nossas soluções de interligação. Os produtos GEZE podem ser ligados a ele de diferentes formas. O controlador pode ser utilizado com as próprias aplicações de software da GEZE, mas também pode ser integrado em outros sistemas de controlo de edifícios. Nesta matéria, trabalhamos com padrões de comunicação abertos para assegurar que a integração e interação entre os grupos de manutenção decorre da forma mais simples e harmoniosa possível no edifício. Tudo isto com o objetivo de tornar os nossos produtos originais mais fáceis de experienciar e utilizar, com a ajuda de produtos e serviços digitais. Para uma maior segurança, eficácia e comodidade.

Relativamente às tendências: O que está a GEZE a fazer para desenvolver ainda mais esta tendência?

Sou muito cuidadoso com a palavra "tendência", uma vez que produzimos bens de capital duradouros. Não bens de consumo. Prestamos apoio a edifícios ao longo de todo o seu ciclo de vida. Por conseguinte, também confiamos sistematicamente em padrões de comunicação abertos, que são promovidos pelo mercado devido ao longo tempo de vida útil dos nossos produtos. Os componentes de hardware nos edifícios devem funcionar durante décadas. Assim sendo, aplica-se aqui outra regra: Porque temos de ter a certeza de que a tendência se torna uma norma. Isto significa que se estamos a desenvolver um produto, fazemo-lo com o máximo cuidado.

E o que significa isto para o GEZE Cockpit?

Estamos a modularizar ainda mais o nosso software, para que possamos satisfazer os desejos dos clientes individualmente. O GEZE Cockpit é apenas o primeiro passo neste sentido. Estamos em vias de desenvolver uma espécie de sistema de blocos de construção no software. Porque a cada novo projeto em que utilizamos o GEZE Cockpit, ficamos a conhecer diferentes controlos de cena e modos. É importante que não percamos de vista o nosso objetivo – e isso significa: Como podemos contribuir com os nossos produtos e serviços para o desenvolvimento de edifícios com qualidade de vida em conjunto com os nossos clientes, que se adaptem às necessidades dos nossos clientes?

Senhor Haas, obrigado pela conversa!